COMPULSÃO POR DOCES, O QUE DEVO FAZER?

COMPULSÃO POR DOCES. COMO EVITAR? Quando tentamos nos enganar com a desculpa do “eu mereço” para atacar mais uma fatia de bolo na sobremesa, isso tem uma explicação: vício em açúcar. Muitas pessoas nos relatam que são viciadas em doces e não conseguem ficar sem todos os dias. Na verdade conseguem sim. O açúcar é um carboidrato refinado que possui um efeito devastador sobre nossa saúde. Está associado à hipoglicemia, ao diabetes mellitus, à arteriosclerose, à OBESIDADE, ao aumento do ácido úrico, ao aumento da incidência de cálculos biliares e à diminuição da função imune, aumentando a suscetibilidade à infecção e ao câncer. Favorece o crescimento e manutenção da cândida albicans, predispõe a alterações comportamentais e à perda urinária de vitaminas e minerais, em especial do cálcio, levando a maior incidência de osteoporose. Além de tudo, pode virar vício! QUANTO MAIS SE COME, MAIS SE QUER. O PROBLEMA Sabemos que a ingestão de carboidratos aumenta os níveis de insulina, que tem como função reduzir a glicemia. Isso causa o desejo por mais alimento, principalmente carboidratos, sendo ainda mais pronunciada com alguns tipos de carboidratos simples, os que fazem a gente engordar. Açúcar, alimentos refinados e aqueles com alto índice glicêmico provocam um aumento na glicemia e níveis de insulina, o que leva a maiores episódios de compulsão. Alimentos de alto índice glicêmico (> 85) – evitar Alimentos de moderado índice glicêmico (60-85) – controle Alimentos de baixo índice glicêmico (< 60) – consumir, mas sempre com equilíbrio A SOLUÇÃO Diminua a ingestão de carboidratos com índice glicêmico alto como pão francês e todos os alimentos feitos com farinha de trigo branca, batata inglesa, milho e derivados e claro, excesso de açúcar. Aumente a ingestão de proteínas magras (frango, ovos, legumes, soja, carnes) e de alimentos integrais ricos em fibras que proporcionam saciedade como arroz integral, aveia, biscoitos e pães integrais, quinoa, linhaça e chia. Consuma frutas, geléias de frutas sem açúcar, gelatina e oleaginosas, bons substitutos de doces calóricos. Pode ser interessante, ou até mesmo necessário, estipular uma freqüência semanal para o consumo de doces, assim favorecendo sua maior adesão aos tratamentos dietéticos. Prefira consumi-los após refeições com bom conteúdo de proteínas e nunca com o estômago vazio, pois a queda na glicemia muito rápida provocará maior compulsão pelo mesmo. SUGESTÃO DE ALIMENTOS DOCES Veja uma lista de doces que não comprometem a silhueta e deixa você satisfeita. É questão de hábito, comece a mudança hoje mesmo e pense magro: Barras de protéinas ou de cereais que não contenha açúcar, glicose de milho ou mel; Mix de castanhas e frutas secas; Maçã ou abacaxi desidratado crocante; Banana passa sem açúcar; Banana amassada com aveia e mel. 40 segundos no microondas fica deliciosa; Abacate batido com 1 colher (sopa) de cacau puro em pó, 1 colher (sopa) de adoçante stevia ou sucralose e 3g de goma xantana, vira um delicioso pudim; Frutas frescas com iogurte natural por cima; Granola sem açúcar com iogurte desnatado e morangos; Gelatina diet Geléias ou goiabada sem açúcar; Oleaginosas como castanhas do pará (2/dia), de cajú (5/dia), amendoim (30g/dia), nozes (3x/dia) e amêndoas (8/dia). Mas controle o limite. Bolo integral feito em casa com banana, castanhas e uva passa Bateu vontade de chocolate? Vá de meio amargo. Eles têm propriedades antioxidantes e muitos não contém açúcar que estimula a vontade de comer mais. Além disso, o sabor mais acentuado deixa você satisfeita com uma porção menor. DICAS Não deixe doces calóricos em casa; Pense nos seus objetivos e coma para o corpo que você quer e não para o que você tem; Após um período de mudança de hábitos, você se acostuma com as novas e também gostosas opções de doces. Foca na sua meta e pratique atividades físicas. Elas ajudam a liberar o hormônio do bem estar e ainda fazem você emagrecer. Mas não esqueça que os exercícios não compensam uma má alimentação. Faça esse esforço, pois como citado, quanto mais se come mais se quer. Seu corpo pede, mas seu cérebro pode ajudar a deter esse vício controlando o consumo de alimentos que não nutrem o corpo e fazem você engordar, além de outros problemas de saúde. Faça isso por você!